A Era do Streaming Esportivo

A forma como o esporte será transmitido está mudando

A era do streaming no esporte chegou definitivamente. Streaming é uma tecnologia que envia informações multimídia, através da transferência de dados. Utilizando redes de computadores, especialmente a Internet, foi criada para tornar as conexões mais rápidas.

Dentro deste cenário, temos duas notícias impactantes sobre transmissões de eventos:

1 – A Amazon garantiu um dos dois pacotes de direitos da Premier League.O acordo dá direito a transmissão para as três temporadas de 2019/20 a 2021/22. O acordo marca o último impulso da Amazon no mercado de direitos esportivos, após a aquisição da cobertura exclusiva no Reino Unido e na Irlanda do torneio de tênis US Open Grand Slam e do ATP World Tour masculino.

2- O Facebook vai se juntar a Globo e à Fox Sports, e vai transmitir a Copa Libertadores. Globo e Fox são responsáveis pela transmissão do torneio pela TV. A Globo passa jogos exclusivamente na TV aberta e Fox Sports e SporTV dividem a transmissão na TV fechada. O Facebook vai transmitir jogos pela internet, com os jogos disputados às quintas-feiras. O contrato vale para as edições do torneio realizadas entre 2019 e 2022.

Estamos com os olhos nas transmissões dos eventos esportivos. Mas alguns itens ainda são barreiras para cravar que a era do streaming já está consolidada. Não está.

O que é preciso analisar na era do streaming

A dificuldade é proporcionar lucro. É preciso entender se o torcedor está pronto para assistir o evento esportivo fora do convencional. É preciso ter os pontos bem definidos: como assistir, em qual plataforma, qual tipo de evento.

Como fazer as empresas acreditarem na transmissão via internet? Em que pese que muitas empresas estão, hoje, atrás de influenciadores digitais. Mas falta as marcas envolvidas com os eventos esportivos bancar o investimento.

Tornar o negócio escalável. Na era do streaming é preciso fazer surgir uma previsibilidade de receita. Sem isso, a bola não vai rolar no digital. Ele não pode ser somente o meio, mas tem de ser também sustentável. E. até aqui, a prospecção de parceiros que viabilizem as transmissões está escassa.

Outro ponto. Estrutura. Ao menos, no Brasil, dificilmente a banda larga das operadoras de celular vai permitir de forma saudável o acesso.

A transmissão via internet passa a ter vantagem quando entendemos como o marketing pode atuar. Maior segmentação, grande alcance, é rápido, é mensurável e tem grande poder de viralização. Neste ponto é preciso entender se o público estaria disposto a pagar por eventos de forma isolada na internet, por exemplo. Ou ainda, pagar por uma plataforma que ofereça conteúdos esportivos.

O acordo da Amazon de mostrar a Premier League pela primeira vez significa que os fãs terão que assinar até três serviços diferentes se quiserem ter acesso a transmissões ao vivo de todos os jogos.

E o comportamento vai decidir até onde isso tudo vai.

Fonte: Ataque Marketing

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *